Linux

Material de Apoio – Agosto 2017

Boa tarde pessoal! Salve, salve amantes de banco de dados, Tudo bem? Este é mais um post da sessão Material de Apoio, sendo o terceiro no decorrer de 2017 e de número 153 no total desta sessão. Já passamos da metade de 2017, que loucura isso, como a rotina do dia a dia não nos deixa perceber … Continue Lendo "Material de Apoio – Agosto 2017"

SQL Server Management Studio 17.2 liberado para download

Você conhece o SQL Server Management Studio? SQL Server Management Studio é um ambiente integrado para o gerenciamento de qualquer infra-estrutura SQL do SQL Server banco de dados SQL. SQL Server Management Studio fornece ferramentas para configurar, monitorar e administrar as instâncias de SQL. Use o SQL Server Management Studio para implantar, monitorar e atualizar … Continue Lendo "SQL Server Management Studio 17.2 liberado para download"

Primeiro release candidate do SQL Server 2017 agora disponível

A Microsoft anunciou hoje a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do SQL Server 2017 RC1 (Release Candidate 1), a versão de testes pública mais recente do novo SQL Server. Em nossos sete CTPs community technology previews () até à data, o SQL Server 2017 emitiu: Linux suporte para cargas de trabalho de nível 1, missão … Continue Lendo "Primeiro release candidate do SQL Server 2017 agora disponível"

Lançado: Preview público para SQL Server 2017 e pacote de gerenciamento de replicação (CTP4)

Microsoft anuncia o SQL Server 2017 Management Pack CTP4 bits com novas funcionalidades na versão (6.7.60.0). Faça o download do preview público em: Pacote de gerenciamento do Microsoft System Center (comunidade técnica Preview 4) para o SQL Server 2017 Pacote de gerenciamento do Microsoft System Center (Community Technology Preview 4) para replicação do SQL Server … Continue Lendo "Lançado: Preview público para SQL Server 2017 e pacote de gerenciamento de replicação (CTP4)"

Microsoft disponibiliza o SQL Server 2017 CTP 2.1

A Microsoft anunciou nesta semana em seu blog a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do SQL Server 2017 CTP 2.1, a versão de testes pública mais recente do novo SQL Server. Performance inigualável Faça consultas até 100 vezes mais rápido do que o disco com columnstore in-memory e transações até 30 vezes mais rápido com … Continue Lendo "Microsoft disponibiliza o SQL Server 2017 CTP 2.1"

Microsoft disponibiliza o SQL Server 2017 CTP 2.0

A Microsoft anunciou nesta semana em seu blog a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do SQL Server 2017 CTP 2.0, a versão de testes pública mais recente do novo SQL Server. Performance inigualável Faça consultas até 100 vezes mais rápido do que o disco com columnstore in-memory e transações até 30 vezes mais rápido com … Continue Lendo "Microsoft disponibiliza o SQL Server 2017 CTP 2.0"

SQL Server no Linux – Os primeiros passos

Olá pessoal, Confesso que hoje foi realmente a primeira vez que criei uma máquina Linux com o SQL Server vNext. Estava curioso para ver como funcionava e realmente é fácil ou não instalar o SQL Server. Meu conhecimento em Linux é realmente zero, então tive que pesquisar através das documentações como realizar todas as ações […]

Instalação do SQL Server no Linux

Há alguns anos atrás, para muitos só a simples menção da associação das palavras SQL Server + Linux já seria motivo para queimar o “herege” na fogueira, mas, como tudo na vida, os tempos mudam (e ás vezes para melhor)… Muitos já sabem que a Microsoft irá lançar uma versão do SQL Server para rodar…

Referência: Brendan Gregg on Systems Performance

Olá leitor.
Recentemente eu ouvi um podcast bem interessante, que vale a pena ser escutado por muitos:  http://www.se-radio.net/2015/04/se-radio-episode-225-brendan-gregg-on-systems-performance/

Foi gravado no Software Engineering Radio e conta com a participação de Brendan Gregg (http://www.brendangregg.com/), um profissional diferenciado que acompanho já faz mais ou menos um ano, e que hoje tem um trabalho bem divertido: "Senior performance architect at Netflix" (não que os outros empregos dele tenham sido ruins…)

Nesse podcast ele fala sobre Systems Performance, fazendo uma análise de desempenho do ponto de vista do sistema operacional/hardware e como isso afeta as aplicações. Para quem gosta de uma análise de baixo nível, ouvi-lo falar é um excelente incentivo para continuar estudando. De quebra ele ainda fala do poder da visualização, cita o Edward Tufte e ainda fala das diferenças em desempenhar este tipo de trabalho em ambiente virtual (leia-se cloud computing).

Ele ainda publicou em 2013 um livro que está na minha lista de leitura e tenho certeza que deve agradar muitos de vocês: Systems Performance -  Enterprise and the Cloud (http://www.amazon.com/gp/product/0133390098)

É só isso… Não sei se você gosta desse tipo de post, mas como sempre é bom ter boas referências, quem sabe esta não é mais uma. E em seu site pessoal tem muito material legal, vale a pena revisar.

Abraços

Luciano Caixeta Moreira - {Luti}
luciano.moreira@srnimbus.com.br
www.twitter.com/luticm
www.srnimbus.com.br

SQL Server on Linux


A essa altura do campeonato você já deve estar sabendo do anúncio que a Microsoft fez no dia 07/03/2016 (ontem): https://blogs.microsoft.com/blog/2016/03/07/announcing-sql-server-on-linux/

Sim, SQL Server rodando em Linux.

Um assunto que pegou até MVPs de Data Plataform desprevenidos, pois muitos não tinham ideia de que isso poderia acontecer. E mesmo com inúmera incógnitas, não posso deixar passar em branco o assunto sem um post.

Eu estou ANIMADO com o anúncio e vou expor meus motivos, porém primeiro vou listar o que nós não sabemos (nem mesmo os MVPs de SQL Server):

  • Quais serão as funcionalidades suportas pelo produto. Será todo o core da engine relacional? Integration Services?
    • Hekaton, Columnstore, e outras funcionalidades que estão brilhando, estarão incluídas?
  • Teremos Enterprise, Standard e todas as outras edições?
  • Os releases serão sincronizados ou podemos esperar uma defasagem de funcionalidade entre SQL Server do Windows e Linux?
  • Como será o SQL Server Agent? Controlaremos nossos jobs pela cron?
  • Quais serão as distribuições de Linux suportadas? Suse?
  • Suportaremos quais file systems? Ext3, ext4, reiserFS, XFS?
  • Quais serão as ferramentas? Vamos ter o SSMS on Linux? Visual Code será suficiente? Vamos usar IDEs como Eclipse?
  • Haverá interoperabilidade entre plataformas? Isto é, um backup de um banco no Linux pode ser restaurado em um SQL Server rodando no Windows?
  • Teremos 100% de compatibilidade no T-SQL?
  • Como fica integração com o CLR?
  • Diferente do Windows, onde o SQL Server não alterada nada no kernel do SO, será que teremos compilações de kernel específicas para o SQL Server?
  • Vão abrir o código fonte do SQL Server? (Aqui eu aposto contra…)

O que nós sabemos:


Ficou claro que a listagem de dúvidas é muito maior que a de certezas, o que não deixa o assunto menos interessante.

O que é mais legal e me deixa motivado, é que teremos a possibilidade de acompanhar o SQL Server em uma nova jornada, podendo analisar e aprender com os acertos e erros da Microsoft e seus desenvolvedores. Então elucubro sobre alguns pontos…

  1. Fica evidente mesmo para os mais míopes, o que já sabemos: “Data is the core asset now.” Mr. Nadella said.
  2. Linux é um grande sistema operacional e com um market share significativo. Estar presente nele representa uma oportunidade para a Microsoft e, claro, para todos os DBAs SQL Server.
    1. O que não significa que o SQL Server irá se comportar melhor.
  3. As empresas poderão optar por ter um excelente banco de dados (veja prosa abaixo) mesmo que esteja com seus servidores rodando Linux.
    1. O poder de escolha é importante para o negócio, e caso a Microsoft garanta compatibilidade do T-SQL e boa integração entre plataformas, a migração Windows -> Linux pode ser facilitada.
  4. Será possível fazer comparações efetivas de desempenho entre o SQL Server e outras engines rodando com mesmo sistema operacional e hardware.
    1. Só isso já vale o ingresso, a comparação efetiva de engines ou funcionalidades específicas, sem ficar com discursinho de que se fosse no Linux o resultado seria outro.
  5. Muitos DBAs SQL Server vão ter que aprender Linux e isso fará com que eles estudem e comparem as plataformas. Saber as diferenças e como explorar os pontos fortes de cada sistema operacional vai te deixar um melhor profissional.
    1. O que não significa que será melhor ou mais fácil… Por exemplo: deixe de agendar seus jobs com o SQL Server Agent e passe a usar a cron. Ou melhor, tente criar no Linux um monitor de desempenho como faz no Perfmon, cruzando dados de sistema operacional (memória, processos, processadores, I/O, rede), com contadores do SQL Server (access methods, buffer manager, SQL Statistics).
  6. Poderemos observar a qualidade do código produzido pela Microsoft para suportar diferentes sistemas operacionais. Será que ela fará melhor ou vou encontrar listas gigantescas de correções como eu vejo no DB2 LUW?

Prosa SQL Server, Oracle, DB2, PostgreSQL, …

Relembrando: Essa prosa vem de um geek que estudou por muito tempo o SQL Server, administrou por quase 2 anos e meio o DB2 LUW com Suse Linux, foi massacrado com informações sobre o Oracle no treinamento do Portilho e agora eventualmente investe uns minutinhos lendo coisas a sobre o PostgreSQL. Isto é, com certeza escrevo muita besteira…

Hoje temos o DB2 e Oracle com mais funcionalidades que o SQL Server, algumas sensacionais que eu gostaria de ver no SQL Server, além da possibilidade de fazer ajustes finos em diversas configurações (mesmo que quase ninguém o faça). Já no SQL Server eu vejo uma engine mais concisa e muito eficiente, e um produto que está se adaptando mais rápido às inovações/pesquisas de banco de dados (talvez por não ter que manter diferentes SOs), o que pode ser um diferencial nos próximos anos.

Vejo na nova direção da Microsoft, abraçando o Linux e open source, a possibilidade de muitos de nós sair de um casulo dentro de uma plataforma (como eu vivi por muitos anos!!) e até de abraçarmos modelos diferentes. Quem sabe no futuro veremos menos gastos com uma cadeia gigantesca de vendedores, minimizando o custo do licenciamento, melhorando o serviço de suporte e focando no que realmente importa: a qualidade dos produtos e resolver os problemas dos clientes. Seria muito bom ter que parar de desmentir histórias que alguns vendedores contam…

Já disse isso para vários clientes (inclusive um bem recente) que para a grande maioria dos ambientes transacionais, não importa se o seu banco é Oracle, SQL Server, DB2 ou PostgreSQL (que tem recebido muitos elogios e acho que merece ser acompanhado de perto), o que importa muito mais é como fazemos a adoção da tecnologia e se estamos utilizando-a de forma efetiva.

Por fim, espero sinceramente que o maior benefício seja produzirmos comparações de qualidade, discussões inteligentes e que isso traga maior maturidade para TODOS os profissionais que trabalham com banco de dados. A aproximação da Microsoft com o Linux deve fazer com que DBAs SQL Server se aproximem de outras engines e também trazer DBAs Oracle/DB2/PostgreSQL para explorar um pouco do SQL Server, quebrando mitos e preconceitos.

Quero poder discutir e testar se o completely fair scheduler (https://en.wikipedia.org/wiki/Completely_Fair_Scheduler) é realmente ruim para máquinas com banco de dados que não adotam um modelo cooperativo de escalonamento (como eu acredito ser). Quero poder falar sobre configurações do SO (ex.: swapiness, huge pages), ou se a implementação do Vectored I/O (https://en.wikipedia.org/wiki/Vectored_I/O) no Linux realmente não é a ideal (como eu já soube), tudo isso sem esbarrar na barreira de minha versus sua plataforma de banco de dados ou sistema operacional.  

Mas tem uma coisa que continuará igual: os manés xiitas sempre existirão.

Isso não mudará, infelizmente teremos manés em todas as plataformas. Vou continuar observando calado um DBA de outro SGBDR dizendo que eu, DBA SQL Server, não sei administrar banco de dados sem mouse, notando em seguida que o infeliz não tem a menor ideia do funcionamento de um banco de dados (pela minha observação, os xiitas tendem a ser os mais leigos). E mesmo sabendo que em dois ou três meses estudando o SGBDR muitos profissionais seriam melhores do que ele, continuarei calado. Para esses xiitas, que por desconhecimento de outra tecnologia, continuam a arrotar besteiras colossais e se sentindo maiorais, meu total desprezo.


Estamos vivendo tempos excitantes no mundo dos bancos de dados e essa mudança dentro da Microsoft e com o SQL Server eu quero assistir de camarote. Pode ser que ninguém adote o "novo" produto, pode ser que o desenvolvimento falhe espetacularmente e venha com muitos bugs ou péssimo desempenho, ou que as ferramentas não sejam tão interessantes como as que temos hoje. Ou pode ser que o SQLOS ofereça uma abstração fantástica e o produto se adapte muito bem em um novo SO, deixando muita gente de queixo caído. Seja qual for o resultado desse movimento, com certeza ele trará muito aprendizado.

De quebra, quem sabe um dia não teremos um treinamento Mastering SQL Server on Linux na Sr. Nimbus, irmão do já conhecido Mastering http://www.srnimbus.com.br/sql23/.

Quer acompanhar de perto também? Se cadastre no preview e acompanhe o evento Data Driven que acontecerá no dia 10 de março, onde provavelmente vão falar sobre o assunto.


Se estiver com tempo e quiser analisar por outras fontes como está sendo recebida a notícia, alguns links:



Ah, Kevin Farlee colocou essa imagem no twitter… Esse não acredito ser fake, como muitos outros que já vi. :-)




====================== UPDATE ======================

Brent Ozar traz para a mesa mais outros questionamentos, que podem ser tão importantes quanto a qualidade do produto desenvolvido. Recomendo a leitura: https://www.brentozar.com/archive/2016/03/microsoft-sql-server-coming-linux

Seria legal também ouvir comentários de profissionais Oracle, DB2, Postgres… E aí, acham que isso vai vingar? Tem curiosidade com o que está por vir ou não vai fazer a menor diferença no mercado?

Abraços

Luciano Caixeta Moreira - {Luti}
luciano.moreira@srnimbus.com.br
www.twitter.com/luticm
www.srnimbus.com.br
Go to Top